A Saúde da Criança

“E agora?”

O bebé finalmente nasceu, ao fim de 9 meses, e os pais chegam a casa vindos da maternidade com a dúvida escrita nos seus rostos – e agora?

Uma criança é, para os seus pais, a fonte das maiores alegrias e a causa das maiores ansiedades, com especial destaque para a relacionada com a Saúde da sua Criança.

Hoje em dia os pais procuram nos profissionais de saúde muito mais do que o “simples antibiótico” para a otite. A saúde dos seus filhos não é encarada apenas como a ausência de doença física, mas antes como a capacidade de a criança se integrar com êxito na sociedade, resultante de um correcto desenvolvimento físico e mental.

Ainda que não esquecendo o eficaz combate às diversas patologias que possam afectar a criança, a estratégia actual dos profissionais de saúde focaliza-se na promoção da Saúde dessa criança.

Todo o acompanhamento que é feito à criança tem, na sua génese, o objectivo de lhe potenciar um correcto desenvolvimento físico e mental.

Para além dos exames físicos com as rotineiras medições do peso e altura, avaliação dos reflexos e coordenação motora, verificação do alinhamento da coluna vertebral, auscultação, entre muitos outros, é prestada especial atenção aos hábitos de vida da criança, como seja à sua alimentação e à prática de desportos, com o objectivo de prevenir quer o sedentarismo quer a obesidade – problemas típicos na sociedade actual.

Fora do âmbito das consultas de rotina, são ainda muitos os momentos em que os pais necessitam da ajuda de profissionais de saúde, sejam estes o pediatra, a enfermeira, o nutricionista ou outros. A título meramente exemplificativo temos:

  • opção, ou não, pelo aleitamento materno;
  • vacinas a administrar, para além das contempladas no Programa Nacional de Vacinação;
  • timming para a introdução de novos alimentos;
  • o que fazer perante um episódio de febre;
  • como prevenir ou aliviar as cólicas do bebé. 

Naturalmente, os focos de atenção dos profissionais de saúde vão-se adaptando com o crescimento da criança. Num adolescente torna-se importante que, para além do exame físico, se abordem temas como as alterações inerentes à puberdade, sexualidade, preocupações com a imagem e relacionamentos inter-pessoais. A abordagem destes temas só é possível se existir uma relação de confiança entre o médico ou enfermeiro e o adolescente, sendo que, a procura do profissional de saúde como fonte de informação é, por si só, um sinal de maturidade.

A saúde da criança não resulta somente de uma operação aritmética entre o tempo de vida e o número de episódios de doença.

A Saúde da Criança é, antes de mais, uma atitude perante a vida que resulta da adopção de hábitos saudáveis.