A Saúde Oral

“Dentistas, nem vê-los!”

Esta é ainda uma expressão comum entre a população portuguesa. No entanto, os hábitos têm vindo a mudar.

Para além da importância que tem a nível social, uma boca saudável é, antes de mais, uma premissa fundamental para a saúde e bem-estar de qualquer indivíduo.

A ida ao dentista não deve ter como única motivação a “dor de dentes” ou o “inestético abcesso”, mas antes ser considerada como forma de prevenção de eventuais patologias e promoção da saúde oral.

Mas quando ir ao dentista?

A periodicidade mínima aconselhada é a visita anual, embora existam pessoas
para quem esta periodicidade deva ser mais curta.

É importante ter a noção de que a altura de maior risco de início de cárie dentária acontece aquando do nascimento dos dentes, dado existir maior espaçamento entre estes. Assim, a primeira visita ao dentista deve acontecer aos dois anos de idade da criança.

O acompanhamento do desenvolvimento da criança, para além de permitir atempadamente proceder às correcções necessárias para uma dentição esteticamente agradável, permite desde logo a assimilação de hábitos saudáveis, prevenindo o aparecimento de cáries dentárias. Neste contexto, frases como “se não comeres a sopa vem o Sr. Dentista e arranca-te os dentes todos”, ainda que possam ter por base objectivos louváveis, têm como consequência o medo da visita ao dentista.

Na criança a doença oral mais comum é a cárie dentária, ao passo que nos adultos é a periodontite.

É necessário lembrar que o seu dentista não é apenas o médico que trata o abcesso ou que arranca o dente quando já não resta outra alternativa. Ele é, antes de tudo, o profissional que o aconselha em questões tão variadas como: que cuidados ter com a alimentação; que escova usar; como ter dentes mais brancos, como prevenir o mau hálito, entre outras.